O Ecossistema de Áudio, Parte 1: Microfones para Conferências

Chris Lyons | 15/06/2020

Uma reunião sem vídeo ainda é uma reunião; uma reunião sem áudio é cancelada.  Na verdade, 81% dos tomadores de decisão de TI dizem que o áudio tem o maior impacto na melhoria da qualidade das reuniões virtuais. É fácil ignorar um bom som, mas não se pode deixar de perceber um som ruim. Dificulta a comunicação, aumenta a distração e reduz a compreensão - o que reduz a produtividade e a eficiência de uma organização. 

Nesta série de postagens do blog, vamos ver como as várias partes do ecossistema de áudio afetam a qualidade do som. O trabalho do sistema de áudio é capturar as vozes das pessoas na sala para transmissão e reproduzir as vozes das pessoas em outro local. Para fazer isso bem, o som precisa ser inteligível (o que significa que você pode entender o que está sendo dito) e natural (o que significa que as pessoas soam como elas mesmas, como fariam se estivessem se comunicando pessoalmente). No post no 1 do blog, vamos discutir o papel do microfone.

O Microfone tem um papel muito importante e único

O microfone para conferências é o primeiro elo da cadeia de componentes de áudio; é o ponto de origem para tudo o que acontece. O microfone tem apenas uma função: converter as ondas sonoras que viajam pelo ar em um sinal de áudio que pode fluir por um fio para ser transmitido, amplificado ou gravado. Se o microfone envia um sinal de áudio de baixa qualidade à rede, é o que sai do outro lado, e o alto-falante não tem escolha a não ser convertê-lo novamente em som. Se o som for abafado, baixo ou ruidoso, grande parte da culpa está no microfone.

O caminho da voz para o microfone percorre por um ambiente acústico onde geralmente está acompanhado de ruído e reverberação.  Quanto mais complexidade apresentada nesse ambiente acústico, maior a dificuldade de clareza e definição na recepção do áudio para quem está do outro lado. 

Para criar um sinal de áudio o mais limpo e nítido possível, o microfone precisa captar o máximo de vozes dos participantes e o mínimo possível de ruído e reverberação da sala ambiente. No caminho da voz para o microfone, o som da voz do interlocutor precisa percorrer um ambiente acústico que consiste em ruído do ambiente (proveniente de saídas de ar, vibrações de edifícios e pessoas) e reverberação (causada por reflexos da voz). Quanto mais complexidade apresentada nesse ambiente acústico, maior a dificuldade de clareza e definição na recepção do áudio para quem está do outro lado. 

Existem apenas três maneiras de contornar isso. A primeira maneira é eliminar os ruídos do ambiente. Se deixarmos a sala silenciosa com um tratamento de estúdio de gravação, quase não haverá ruído ou reverberação para a voz percorrer. Mas os lugares onde as pessoas trabalham ou se encontram não costumam ser assim, e geralmente é caro e difícil fazer com que sejam dessa maneira. 

A segunda maneira é capturar a voz antes que ela comece a se misturar aos ruídos do ambiente. Isso é simples e eficaz, mas significa que o microfone precisa ser colocado a alguns centímetros da boca do locutor, assim como para um cantor em um show. Mas em um contexto de negócios, é claro, o microfone precisa estar a pelo menos um metro de distância sobre a mesa e provavelmente mais longe do que isso – instalados talvez até na parede ou no teto.

A terceira maneira é usar um microfone de conferência que tenha um desempenho inteligente para ignorar os ruídos e reverberação entre a fala dos locutores. Para captar uma voz clara, inteligível e natural à distância, precisamos de um microfone que possa direcionar praticamente toda a sua sensibilidade auditiva para quem fala e muito pouco para o ruído e a reverberação ao redor. O único microfone tradicional capaz desse tipo de desempenho é o microfone tipo Shotgun, que usa um tubo longo para tornar o padrão de captação do microfone mais estreito. Mas um tubo logo saindo da parede ou de um teto não se encaixa bem em um ambiente de trabalho.

Microfones de Teto Shure

A solução mais avançada são os Microfones de Teto. Os microfones de teto Shure combinam até 100 microfones minúsculos em um design discreto que pode ser facilmente instalado no teto ou abaixo do teto, na parede ou na mesa. O padrão de captação de um microfone de teto pode até ser ajustável, para cobrir um único assento ou uma seção inteira da sala.

O melhor de tudo é que um microfone de teto pode configurar vários lóbulos para capturar oradores em diferentes áreas da sala. Captar a voz de uma pessoa no início ou na cabeceira de uma mesa de conferência pode exigir um lóbulo estreito; captar três ou quatro pessoas de um lado da mesa pode exigir um lóbulo médio; e captar as perguntas dos alunos em uma sala de treinamento pode exigir dois lóbulos grandes. O microfone de teto permite que cada lóbulo seja ajustado individualmente, para que os níveis gerais de fala sejam consistentes para todos na sala. 

Um microfone de conferência é ainda mais versátil quando combinado com o processamento de sinal digital embutido que pode fornecer uma mixagem de áudio pronta, além de poder ser transmitido para outras plataformas em uma videoconferência. No próximo capítulo desta série, abordaremos por que o DSP se tornou uma parte tão importante do ecossistema de áudio.

O microfone certo faz toda a diferença no desempenho de todos os dispositivos de um ecossistema de áudio

Ao fornecer uma fonte sólida de áudio, o microfone permite que todos os dispositivos do ecossistema de áudio tenham melhor desempenho para aprimorar o sinal de áudio. Os mixers automáticos são as melhores opções para a ativação do microfone; controles automáticos de ganho ajustam os níveis de maneira suave; os canceladores de eco eliminam o eco completamente.  Capturar um discurso claro, natural e inteligível que não seja contaminado pelo ruído e reverberação da sala parece simples, mas não é. Mas alcançar uma qualidade de som que proporciona comunicação sem esforço e produtividade máxima - sem falta de entendimento ou distração - requer microfones que possam extrair a melhor matéria-prima de áudio enquanto se adaptam à sala e às pessoas nela.

Leia os outros artigos que destacam a Ecossistema de Áudio Shure para Conferências:

Os microfones Shure Microflex Advance combinam lóbulos de captação ajustáveis, DSP interno e configuração simples em uma variedade de opções de instalações no teto, parede ou mesa.  Saiba mais em https://www.shure.com/pt-BR/produtos/microfones/mxa910

Chris Lyons

Chris Lyons é um veterano com 30 anos de Shure que ocupou várias e diferentes funções de marketing e relações públicas. Sua especialidade é facilitar a compreensão de uma complicada tecnologia de áudio, geralmente com uma analogia que envolve carros ou comida. Ele não canta e nem toca um instrumento, mas faz a Shure Associates rir de vez em quando.

Chris Lyons

Chris Lyons is a 30-year Shure veteran who has filled a variety of different marketing and public relations roles. His specialty is making complicated audio technology easy to understand, usually with an analogy that involves cars or food. He doesn't sing or play an instrument, but he does make Shure Associates laugh once in a while.